O Índice Geral do E-Commerce (IGEB) registrou uma queda de 16% em janeiro deste ano em relação a dezembro de 2018.

Esse índice usa o processo de captura de dados da internet, extraídos de visitas a mais 21 milhões de sites brasileiros, em uma escala de zero a mil pontos.

Os quesitos considerados na pesquisa do índice são tamanho das peças, segurança e conveniência na compra pela internet.

Dos quatro pilares que compõem o índice, três registraram recuo: tamanho, segurança e conveniência.

  • A maior queda de pontos do Índice Geral do E-Commerce Brasileiro deu-se no pilar tamanho, que recebeu, em fevereiro, 572 pontos, versus o escore máximo de 1.000 pontos, registrados em janeiro (relativos aos resultados de dezembro). A forte queda na pontuação de um mês para o outro reflete o término do aquecimento típico do final do ano, quando ocorre o pico das atividades de e-commerce.
  • O pilar de conveniência (763 pontos) indicou queda em relação ao resultado anterior, de 1.000 pontos. Houve uma redução nas alternativas e facilidades para os clientes. O número de sites responsivos, prontos para serem acessados de qualquer tipo de dispositivo, caiu de 90% para 81,30%; o número médio de meios de pagamento disponibilizados nos sites caiu de 3,6 para 2,43; e menos de 1% dos sites conta com acessibilidade plena para deficientes.
  • Em Segurança, a pontuação de 830 está aquém do desejável, ainda que tenha indicado um aumento em relação ao índice do mês passado, de 783,03. O resultado reflete a presença de certificado SSL em apenas 83,25% dos sites de comércio eletrônico. Esse número, que já foi superior a 90% no ano passado, está mais baixo devido à abertura de novas lojas nos últimos meses que não adotaram o certificado e em função do vencimento de certificados antigos, sem a devida renovação.

Vale lembrar que o índice de janeiro registra resultados colhidos em dezembro, ápice das movimentações do varejo online e, da mesma forma, o índice de fevereiro diz respeito aos dados colhidos em janeiro, época de férias escolares.

“O que vemos é que o e-commerce mantém-se crescendo a um ritmo forte, mas a qualidade do crescimento deixa a desejar. Muitas lojas online foram abertas ao final do ano e em janeiro; no entanto, uma parte expressiva abriu mão dos mecanismos de conveniência e de segurança, talvez em troca de maior velocidade para entrar no mercado”

Thoran Rodrigues, CEO e fundador da BigData Corp.

O índice é uma iniciativa conjunta do PayPal Brasil e da BigData Corp. para resumir, de forma simples e objetiva, a trajetória do comércio eletrônico no país. Detalhes sobre a composição do índice podem ser vistos no link.

Anúncios

Escrito por varejoemdia

Somos os editores do varejoemdia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s