Os lojistas vão poder oferecer aos consumidores uma nova modalidade de crediário no cartão de crédito feito diretamente na maquininha de pagamento na hora da compra.

O consumidor terá prazos mais longos para pagar e o repasse do valor da venda será feito de forma antecipada ao lojista em até cinco dias.

A opção foi anunciada pela Abecs, asssociação que reúne as empresas de cartões de crédito, empresas e bancos durante o 13º CMEP (Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento).

Como é o novo crediário eletrônico no cartão de crédito

  • É uma nova opção de parcelamento com juros em prazos estendidos
  • Vai substituir os crediários feitos com boletos
  • Consumidor compra do varejista à vista, com desconto no valor, já garantido em regra do BC
  • Pode financiar a compra em seu cartão de crédito em até 24 ou 36 vezes
  • Os juros cobrados no financiamento do cartão serão regulados pelo mercado, mas devem ficar próximos às taxas do empréstimo consignado
  • Modalidade vai atender pequenos varejistas que trabalham com venda em cartão de crédito

Durante o ano passado, um grupo de trabalho formado na Abecs fez a padronização do sistema para operar essa nova modalidade.

Isso permite ao cliente simular a transação na própria máquina de cartão antes de contratar o pagamento, com informações oferecidas pelo emissor do seu cartão, como a quantidade e o valor das parcelas, a taxa de juros e o custo efetivo total desse financiamento.

Sob medida

O banco emissor do cartão deve apresentar ao cliente até três opções de parcelamento, considerando o perfil de risco e o relacionamento do cliente.

Após escolher a opção, o consumidor digita a senha e conclui a transação.

As parcelas do crediário são lançadas nas próximas faturas e a concessão dessa modalidade está relacionada ao limite de crédito do cartão.

Lojista

A loja vai receber o valor da venda de forma antecipada em até cinco dias, mesmo que a compra seja parcelada, com o crediário.

Especialistas consultados acreditam que a nova modalidade vai diminuir custos e ampliar a competitividade principalmente do pequeno varejista, porque ele não tem, geralmente, capital de giro para financiar as vendas.

Quando o lojista recebe à vista, o consumidor pode ser beneficiado com descontos em relação a preço e prazo.

Essa prática é reconhecida desde junho de 2017, com a lei 13.455, que autoriza o comércio a cobrar preços diferentes pelo mesmo produto ou serviço de acordo com a forma de pagamento: à vista ou parcelado.

Mais informações  www.youtube.com/abecsdicas.

Escrito por Claudia Rolli

Jornalista especializada em economia, negócios e varejo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s