Por Claudia Rolli

Quem nunca conversou perto do celular ou do computador e, logo em seguida, recebeu uma oferta de um produto na tela?

A consultoria Accenture constatou que técnicas como esta, muito utilizadas pelo marketing digital, mais assustam os consumidores do que estimulam uma compra.

O estudo sobre o comportamento do consumidor brasileiro em relação a ações de propaganda no mundo digital foi divulgado na semana do Dia das Bruxas.

O que a Accenture constatou no Brasil não é diferente do verificado na Europa e nos EUA.

O que mais assusta o consumidor:

1 Receber anúncio por algo que foi comentado próximo a um assistente de voz,

mas não chegou a ser pesquisado por ele (73%);

2 Anúncios que seguem o consumidor em diferentes dispositivos (69%);

3 Chatbots (assistentes virtuais) que têm acesso ao histórico online do

consumidor, e não apenas os relacionados a compras (66%);

4 Um anúncio em rede social baseado em buscas de compras em outros sites

(66%);

5 Chatbots com acesso ao histórico de interações com serviços de

atendimento ao consumidor (64%).

Quais as estratégias consideradas mais eficazes:

1 Transparência total

Muitos consumidores estão dispostos a compartilhar dados se as marcas são

transparentes sobre como essas informações estão sendo usadas;

2 Criar uma experiência coesa

A experiência do anúncio digital deve ser conectada à experiência do cliente,

seja na web ou na loja, embora os anúncios devam ser adaptados ao canal em

que aparecem;

3 Comportar-se como um humano

Os vendedores humanos só perguntam se você está interessado em comprar

uma camisa por algumas vezes, antes de você finalmente dizer que não está

interessado. Da mesma forma, limitar o número de vezes de um mesmo anúncio em

todos os canais é importante;

4 Atribuir corretamente os resultados de publicidade digital

As marcas precisam garantir que os dados coletados de consumidores nas

redes sociais são precisos e os ajudam a determinar quais anúncios

são relevantes para os consumidores e os estimulam na decisão de

compra ou não de um produto.

Metade dos consumidores que deixaram de navegar em um site de uma marca

ou de um varejista informou que havia ‘falta de personalização’ – 51%

consideraram que os anúncios invasivos estavam em alta.

Para realizar o estudo a Accenture entrevistou 8 mil consumidores da América do Norte e da Europa.

Leia aqui a íntegra do estudo:

https://www.accenture.com/_acnmedia/PDF-110/Accenture-See-People-Not-Patterns.pdf

Escrito por Fátima Fernandes

Jornalista especializada em economia, negócios e varejo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s