​Você  já  analisou o comportamento do consumidor que pretende comprar nesta edição da Black Friday?

Veja o que o consumidor pensa, deseja e de que forma pretende gastar, de acordo com pesquisas realizadas neste ano.

Um dos pontos que mais chama a atenção é que o  consumidor não distingue mais o online do off-line, de acordo com Daniel Domeneghetti, especialista em práticas digitais no relacionamento com cliente e CEO da E-Consulting Corp.

“O consumidor está conectado às redes sociais, compartilhando, validando suas opiniões com amigos, pesquisando, indicando, aprendendo e desenvolvendo um ponto de vista”, diz.

“O consumo mudou e o conceito multicanal exige adaptações das varejistas em relação aos atuais hábitos e costumes do atual comprador.”

A pesquisa feita para o Google pela empresa Provokers, com  1.500 consumidores online de todas as regiões do país, mostra exatamente isso: a importância da experiência combinada de unir o mundo virtual com o físico.

Três em cada quatro consumidores, que consideram útil uma informação de varejo, obtida por meio de busca na web, estão mais propensos a irem até a loja física.

O que isso significa?

“Isso aumenta o poder de decisão do consumidor, tendo em mãos as informações necessárias para conseguir negociar as melhores ofertas”, diz Domeneghetti.

“Cabe ao varejo compreender o desafio de ampliar esta jornada infinita de compra do consumidor.”

O que eles querem

Oito em cada dez consumidores pretendem comprar produtos de mais de uma categoria neste ano: uma média de 6,5 categorias por consumidor, enquanto em 2018, eram apenas 3,9.

Dados do Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, mostram que as vendas do comércio eletrônico devem totalizar R$ 3,5 bilhões, o que representa um crescimento de 19% em relação ao mesmo período do ano passado.

A projeção considera o faturamento total estimado para as vendas realizadas nos dias 28 e 29 de novembro.

“Os mecanismos criados por diversas empresas para comprovar que os descontos são reais, somados à proximidade do Natal e ao recebimento de parcela do 13º salário, explica o otimismo do setor”, afirma André Dias, diretor-executivo do Compre&Confie.

Somente no primeiro semestre deste ano, mais de 19 milhões de consumidores fizeram pelo menos uma compra online, um aumento de 35,8% em relação ao mesmo período de 2018.

Neste ano, outra tendência do consumidor é comprar pela internet, o que é mais conveniente, e retirar na loja para ter a garantia de que não ficará sem o produto.

Dentro e fora do país

Diversas empresas brasileiras nos Estados Unidos já oferecem descontos especiais por causa da Black Friday, como imobiliárias que alugam casas de férias, lojas de celulares,  eletrônicos e até de entrega de comida.

“Um bom planejamento de marketing e de mercado pode garantir que o sucesso de vendas nesses feriados atribua um fôlego para empresas menores, principalmente as que estão começando”, afirma Antonio Miranda, diretor de marketing do GBI (Global Business Institute).

O GBI é um hub (espaço que reúne empresas iniciantes de base tecnológica com alto potencial de crescimento) de negócios que orienta empreendedores brasileiros nos EUA.

Atualmente, existem mais de 9 mil micro e pequenas empresas de brasileiros nos EUA, de acordo com o instituto.

Crédito foto principal: Fotos públicas/ Rovena Rosa/ Agência Brasil
Legenda: Movimento no comércio em São Paulo, durante a Black Friday de novembro de 2015

Escrito por Claudia Rolli

Jornalista especializada em economia, negócios e varejo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s