Nos últimos dias 12, 13 e 14 de Janeiro ocorreu a primeira rodada de palestras da Retail’s Big Show – 2021 e como não podia ser diferente, neste ano, o centenário evento da National Retail Federation foi 100% on-line.

O varejoemdia teve acesso especial à maioria das dúzias de palestras com grandes varejistas, especialistas e visionários. Uma das vantagens da versão virtual é a possibilidade de ver todas as palestras desejadas, mesmo aquelas que acontecem simultaneamente, uma vez que o conteúdo permanecerá disponível por 30 dias.

Após “maratonar” com as palestras, selecionamos os principais destaques dos primeiros três dias do maior evento do varejo mundial. Embora cada vez mais não sejam percebidas as barreiras entre as lojas físicas e o e-commerce, os temas foram divididos para facilitar a leitura.

LOJAS FÍSICAS

  • Safety Practices – aperfeiçoar mecanismos e processos de sanitização para oferecer maior percepção de segurança contra contaminação pelo corona vírus no ambiente da loja.
  • Contactless – reduzir o contato e a fricção em toda jornada de compra do cliente através da tecnologia: aplicativos de scan&go, self-checkouts, lojas autônomas e meios de pagamento com nenhuma ou interação mínima entre funcionários e clientes.
  • Click and Collect – comprar na Internet e retirar nos estacionamentos, drive-thru e calçadas das lojas ganha ainda mais força. Varejistas experimentam novas práticas para atrair e engajar as pessoas, com entretenimento e promoções durante a retirada das mercadorias.
  • Personalização – desde a criação de ofertas específicas para cada perfil de clientes, varejistas de vários segmentos começam a explorar a possibilidade de customizar produtos como forma de, novamente, atrair consumidores para as lojas.
  • Loja CD – com a integração das operações, softwares mais poderosos e gestão de estoques acurada, as lojas físicas passam a ser utilizadas como centros de distribuição, apoiando todas as operações de entrega. A eficiência da chamada “última milha” do processo logístico, cada vez mais, vai depender dessa compreensão.
  • Da Experiência ao Serviço – antes da pandemia, as lojas físicas exploravam as experiências sensoriais para atrair os clientes. Na era pós-pandemia, uma nova gama de serviços essenciais passa a ser o verdadeiro imã para seus espaços, do conveniente e divertido para o necessário.
  • Redução de perdas – as novas operações e o próprio medo de contaminação dos funcionários abriram um novo flanco para furtos e fraudes nas lojas físicas. A implantação de sistemas de auditoria por análise de vídeo, monitoramento dos sistemas de proteção e treinamentos são os caminhos encontrados para reduzir esse novo gap.

E-COMMERCE

  • Assinaturas – compras de itens básicos e recorrentes são, convenientemente, enviadas para os consumidores de acordo com o volume e frequência desejados.
  • Live Commerce – os programas de varejo TV já exploram essa modalidade há muitos anos, mas agora, com a força das Lives, uma nova e rica mistura de entretenimento, dicas, resenhas e aprendizado combinada com vendas on-line vem conquistando espaço ao redor do mundo.
  • Novas personas – com a explosão das vendas on-line uma enorme quantidade e variedade de novos consumidores desconhecidos entraram no jogo. Novas faixas etárias, origens, motivações e comportamentos são observados. É latente a revisão das personas e das estratégias de atração, conversão e fidelização.
  • Big Data – use com moderação, já existe um movimento de insatisfação com a invasão da privacidade que tende a crescer nos próximos anos. No Brasil, em particular a LGPD, precisa ser muito bem entendida e respeitada.
  • Rapidez – os consumidores desejam recompensas imediatas, querem receber seus produtos não mais em dias, mas em apenas algumas horas. Barreiras logísticas precisam ser vencidas e a integração com as lojas físicas é a chave dessa equação.
  • Cooperação – mesmo para os grandes varejistas, a velocidade da expansão das vendas on-line se mostrou desafiadora. Não dá pra fazer tudo sozinho, é fundamental criar uma rede de parceiros para ajudar na construção de operações, de fato, sustentáveis.

Para finalizar, um importante tema abrangente e presente na maioria das palestras é o crescimento do consumo consciente, ou seja, a busca dos clientes por produtos e lojas que tenham compromissos reais com a sustentabilidade socioambiental, diversidade humana e que causem impacto positivo nas comunidades locais. Em breve abordaremos esse assunto com mais detalhes por aqui.

Acompanhe o varejoemdia para saber mais sobre as transformações do varejo e os insights da segunda semana do congresso NRF 2021. Clique ao lado e siga!

Gustavo Carrer é head de desenvolvimento de negócios na Gunnebo e editor do portal varejoemdia.com

Escrito por gustavocarrereditor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s