Um ano de pandemia, explosão de casos e mortes por Covid-19, e lojas fechadas mais uma vez. Qual o perfil de empresa capaz de sair com alguma força desta crise?

A pergunta foi feita para Pedro Serra, gerente de Research da corretora Ativa Investimentos, que acompanha os números das maiores varejistas do país com ações em Bolsa.

“Não dá para sair comemorando, mas as empresas com ações em Bolsa, com operação online estruturada, devem sair mais fortes desta crise”, afirma ele.

Arezzo, Hering, Renner, Magazine Luiza e Via Varejo, por exemplo, foram afetadas como todo o comércio com o fechamento das lojas, mas o e-commerce compensou parte das perdas.

A rede Hering registrou, nos primeiro segundo e terceiro trimestres de 2020 quedas nas vendas de 22,2%, 3,6% e 10,4%, respectivamente, sobre iguais períodos de 2019.

No caso o e-commerce, comemorou expansão de 42,6%, 165%, 161,2%, nos mesmos períodos. No quarto trimestre de 2020, a alta foi ainda maior, de 230,6%, sobre igual período de 2019.

“O forte crescimento da venda online, portanto, acabou sendo uma grata surpresa para essas grandes empresas em meio à pandemia”, afirma Serra.

VER MATÉRIA COMPLETA

Escrito por Fátima Fernandes

Jornalista especializada em economia, negócios e varejo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s